sábado, 15 de dezembro de 2012

João vs Sinópticos VI - Episódios recontados





O centurião e o escravo

Os sinópticos Mateus e Lucas contém um episódio sobre um centurião que se dirige a Jesus rogando-lhe que salve um seu escravo estimado que estava doente e Jesus cura o escravo sem se deslocar à presença deste (Mateus 8:5-13; Lucas 7:1-10).

Em João uma situação idêntica é descrita com um oficial do rei (presumivelmente o rei é Herodes Antipas) relativamente ao seu filho (João 4:46-54).


Mateus 8:5-13 e Lucas 7:1-10
João 4:46-54
Local
Cafarnaum
Caná
Homem que roga a Jesus
Centurião
Oficial do rei
Doente não presente
O escravo
O filho
Cura
Jesus cura o doente à distância
Jesus cura o doente à distância


Dois episódios diferentes? Ou duas tradições da mesma história?



Marta e Maria... e Lázaro?

Existe também indício de influência específica de Lucas: as irmãs Marta e Maria que foram introduzidas neste evangelho, reaparecem em João, mas agora com um irmão chamado Lázaro (Lucas 10:38-42; João 11:1-12:19).

É estranho “Lucas” ter descrito um episódio com Marta e Maria mas “esquecer-se” completamente de Lázaro o qual, segundo João, foi objecto do maior dos milagres realizados por Jesus - ressuscitar um homem sepultado há quatro dias. Este milagre é contado em João como um evento espectacular, presenciado por uma multidão:
João 11:14-46 ... Chegando pois Jesus, encontrou-o já com quatro dias de sepultura. ... E muitos dos judeus tinham vindo visitar Marta e Maria, para as consolar acerca de seu irmão. ... Então os judeus que estavam com Maria em casa e a consolavam, vendo-a levantar-se apressadamente e sair, seguiram-na, pensando que ia ao sepulcro para chorar ali. ... Disse Jesus: Tirai a pedra. ... Tiraram então a pedra. E Jesus, levantando os olhos ao céu, disse: Pai, graças te dou, porque me ouviste. Eu sabia que sempre me ouves; mas por causa da multidão que está em redor é que assim falei, para que eles creiam que tu me enviaste. E, tendo dito isso, clamou em alta voz: Lázaro, vem para fora! Saiu o que estivera morto, ligados os pés e as mãos com faixas, e o seu rosto envolto num lenço. Disse-lhes Jesus: Desligai-o e deixai-o ir. Muitos, pois, dentre os judeus que tinham vindo visitar Maria, e que tinham visto o que Jesus fizera, creram nele. Mas alguns deles foram ter com os fariseus e disseram-lhes o que Jesus tinha feito.

Resumindo esta questão:
-          Marcos e Mateus não referem Marta, Maria nem Lázaro
-          Lucas narra um episódio com Marta e Maria, mas nada sobre Lázaro
-          João reformula o episódio com Marta e Maria e ainda narra um episódio onde Jesus ressuscita Lázaro, o irmão destas

Porque é que os outros três evangelhos ignoram completamente o episódio em que Jesus ressuscita Lázaro o qual já se encontrava morto por quatro dias? Este seria uma das maiores demonstrações de poder por parte de Jesus! 



Marta e Maria - Baralhar e dar de novo

Uma passagem relatada em João, ainda sobre Marta e Maria, demonstra o quão baralhado e reformulado foi este livro. Esta passagem contém uma fusão de três histórias encontradas nos sinópticos:
João 12:1-8 Veio, pois, Jesus seis dias antes da páscoa, a Betânia, onde estava Lázaro, a quem ele ressuscitara dentre os mortos. Deram-lhe ali uma ceia; Marta servia, e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele. Então Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, de grande preço, ungiu os pés de Jesus, e os enxugou com os seus cabelos; e encheu-se a casa do cheiro do bálsamo. Mas Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, aquele que o havia de trair disse: Por que não se vendeu este bálsamo por trezentos denários e não se deu aos pobres? Ora, ele disse isto, não porque tivesse cuidado dos pobres, mas porque era ladrão e, tendo a bolsa, subtraía o que nela se lançava. Respondeu, pois Jesus: Deixa-a; para o dia da minha preparação para a sepultura o guardou; porque os pobres sempre os tendes convosco; mas a mim nem sempre me tendes.

Vejamos os pontos principais desta passagem:


João 12:1-6
Local:
Betânia
Casa:
Marta, Maria e Lázaro
Mulher:
Maria
O que fez a mulher:
Deitou óleo dispendioso nos pés de Jesus e limpou com os cabelos
Reclamação:
Judas queixa-se que é um desperdício de dinheiro que poderia ser utilizado para caridade.
O que faz Jesus:
Explica que aquele gesto prenuncia o seu enterro.


Vamos comparar os pontos principais desta história com textos dos outros evangelhos, nomeadamente uma passagem de Marcos (que também encontramos em Mateus 26:6-13) e duas de Lucas:


Marcos 14:3-9
(o prenúncio de enterro)
Lucas 7:36-50
(sensualidade)
Lucas 10:38-42
(tarefas domésticas)
Local:
(*) Betânia
-
Certa aldeia
Casa:
De Simão, o leproso
De um fariseu chamado Simão
(*) De Marta e Maria
Mulher:
Uma desconhecida
Uma “pecadora”
(*) Maria
O que fez a mulher:
Deitou óleo dispendioso na cabeça de Jesus
(*) Verteu lágimas nos pés de Jesus, limpou com os cabelos, deitou óleo nos pés
Maria ficou aos pés de Jesus a escutá-lo
Reclamação:
(*) Alguns discípulos queixam-se que é um desperdício de dinheiro que poderia ser utilizado para caridade.
O fariseu critica Jesus por tocar numa “pecadora”.
Marta reclama que Maria não a ajuda nas tarefas domésticas.
O que fez Jesus:
(*) Explica que aquele gesto prenuncia o seu enterro.
Perdoa a “pecadora”
Desculpa Maria, pois ela “escolheu a boa parte”


As partes assinaladas com um asterisco (*) são aquelas que fazem parte da história contada em João. Parece claro, que “João” fez uma mistura de três histórias de características semelhantes, embora com personagens e cenários diferentes, para criar uma nova.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...