domingo, 17 de fevereiro de 2013

Paulo - O Que Ele Não Sabia





Segundo a sua própria descrição, Paulo era um fariseu zeloso que começou por perseguir os judeus que não respeitavam os costumes (Filipenses 3:5-6). Entre esses judeus estavam os novos cristãos. Depois teve uma visão (ou alucinação) de Cristo que mudou o curso da sua vida.

O seu legado foram as cartas que escreveu para diversas igrejas cristãs, algumas que ele próprio fundou. No entanto, estas cartas são silenciosas em relação aos eventos que mais tarde foram registados nos evangelhos. Isto sugere que estes eventos, no mínimo, não eram conhecidos por Paulo. Por outro lado, caso as histórias dos evangelhos fossem reais, não poderiam ser ignoradas por Paulo pois viveu na mesma época em que Jesus deveria ter vivido e a sua conversão ao cristianismo é tradicionalmente datada como tendo ocorrido pouco depois da crucificação de Jesus.

Paulo não faz nenhuma referência a pai de Jesus ser José, nem de sua mãe ser a Virgem Maria. Nunca identifica Jesus com nenhum local, isto é, nem Belém, nem Nazaré, nem Cafarnaum. Paulo não deixa nenhuma pista sobre o local e data da sua existência física. Não se refere a um julgamento perante a autoridade romana, nem a Jerusalém como o local da execução. Nada sobre João Baptista o baptizar nem sobre Judas o traír. Menciona Pedro (Cefas) mas nunca num contexto em que Pedro tenha tido uma convivência quotidiana com Jesus.

Paulo nunca fala dos milagres de Jesus, nem dos ensinamentos éticos de Jesus, excepto acerca do casamento, que encontramos em 1 Coríntios 7:10 e também em Marcos 10:12. Neste caso, assumindo que os evangelhos foram escritos mais tarde, podemos dizer que “Marcos” inspirou-se também na doutrina de Paulo.

A avaliar pelo enquadramento histórico dos evangelhos, a vida pública de Jesus (tradicionalmente, de 29 a 33 EC) coincide com o tempo em que Paulo estaria em idade adulta. E, de acordo com Actos e com as suas próprias cartas, Paulo andou por Jerusalém por bastante tempo durante a sua idade adulta, na década de 30 EC, pois:

-          foi educado em Jerusalém e teve como professor o famoso Gamaliel, o qual viveu naquela época (morreu em 63 EC, segundo algumas fontes) e que, durante muito tempo, fez parte do Sinédrio (Actos 5:34-39; 22:3-5);

-          algum tempo depois da sua conversão a Cristo teve um episódio que envolveu (indirectamente) o rei Aretas da Nabateia (2 Coríntios 11:32-33); ora este rei árabe morreu em 40 EC, o que significa que a conversão de Paulo foi por volta da década de 30;


Segundo os evangelhos Jesus era famoso tanto na Galiléia como em Jerusalém:

-          a fama de Jesus como executante de curas milagrosas espalhou-se até à Síria, aparentemente logo no início da sua vida pública (Mateus 4:24);

-          os evangelhos sinópticos descrevem apenas uma única e curta permanência de Jesus em Jerusalém (poucos dias, até morrer) mas, segundo João, foram várias as viagens a Jerusalém;

-          a sua entrada triunfal em Jerusalém atraiu a atenção de grandes multidões (Mateus 21:1-10);

-          Cleopas, um dos viajantes no caminho para Emaus insinua (ao ressuscitado Jesus, não o reconhecendo) que todos em Jerusalém conheciam Jesus (Lucas 24:18).


Por outro lado, de acordo com Actos, Paulo exercia a sua actividade em Jerusalém, antes da sua conversão a Cristo, como autoridade legal sob o comando do Sinédrio (Actos 6:15-8:1; o Sinédrio condenou Estêvão e Paulo supervisionou o seu apedrejamento) e do sumo-sacerdote (Actos 9:1-2). Então:

-          porque é que Paulo não conheceu Jesus quando este causou os distúrbios no Templo, que despertaram a ira do sumo-sacerdote (Mateus 21:12-16)?

-          porque é que Paulo não soube nada sobre o julgamento de Jesus perante o Sinédrio ou sobre os espectaculares fenómenos que ocorreram depois da crucificação (Mateus 27:51-53; Lucas 23:44-45)?

-          porque é que Paulo, que escreveu cartas para comunidades tão distantes de Jerusalém (Roma, Grécia, Macedónia e Galácia), não descreveu estes episódios?


A resposta é que, quando Paulo escreveu as suas cartas (entre 50 e 60 EC), Jesus Nazareno ainda não tinha sido inventado!

Na maior parte das referências nas suas cartas (considerando apenas as genuinas), Paulo refere o filho de Deus como "Cristo" apenas - poucas vezes como "Jesus" ou "Jesus Cristo". A designação "Jesus" poderá ter sido acrescentada posteriormente numa tentativa de harmonização com os evangelhos.

Paulo divulgou a mensagem sobre o Cristo como protagonista de um evento mítico com consequências para os humanos. Esse evento teria ocorrido fora do contexto de espaço e tempo físico dos humanos, mas teria um impacto na vida das pessoas que cressem nisso. A crucificação e a ressurreição de Cristo teria ocorrido fora do domínio do mundo físico dos humanos. Para poderem conhecer e entender este fenómeno, essencial para a salvação pessoal, os crentes eram encorajados a libertarem-se das amarras do mundo material. Depois tinham apenas de esperar a vinda de Cristo à Terra para os levar para o céu.

26 comentários:

  1. Muito bom o texto! Pergunta: Não seria Saulo, um devoto da crença do deus essênio Krestus, muito popular na época?

    ResponderExcluir
  2. Boa noite.
    Reparei que acresentou ao seu blog duas "setas" para que o leitor possa navegar no blog. Gostaria de saber se me pode indicar como faço o mesmo nos meus blogs. Para que me entenda melhor veja esta imagem; http://www.imagensonline.net/images/capturywy.jpg

    Agradeço qualquer ajuda.

    ResponderExcluir
  3. em "Esquema"
    escolha o link "Designer de modelos"
    escolher o link "Avançadas"
    escolher "Adicionar CSS"

    adicionar o seguinte texto (excluindo os -------------):

    ------------------------------------------------
    .blog-pager-newer-link,.blog-pager-older-link
    {
    position:absolute;
    top:1px;
    /*z-index:999;*/
    color:transparent !important;
    width:45px;
    height:55px;
    background-color:red;
    }

    .blog-pager-newer-link {
    position:absolute;
    left:562px; /* Ajustar ao blogue */
    top:30px; /* Ajustar ao blogue */
    background:url('http://www.damnlol.com/img/buttons.png');
    background-position:55px 0px;
    background-color:transparent !important;
    }
    .blog-pager-newer-link:active {
    background:url('http://www.damnlol.com/img/buttons.png');
    background-position:55px 67px;
    }

    .blog-pager-older-link {
    position:absolute;
    left:-56px; /* Ajustar ao blogue */
    top:30px; /* Ajustar ao blogue */
    background:url('http://www.damnlol.com/img/buttons.png');
    background-color:transparent !important;

    }
    .blog-pager-older-link:active {
    background:url('http://www.damnlol.com/img/buttons.png');
    background-position:0px 67px;
    }
    ----------------------------------------------

    ResponderExcluir
  4. K',
    sobre Crestus o historiador Suetónio (c. 69 a 140 EC) escreveu:
    Vidas dos Doze Césares, Livro V, Vida de Cláudio, 25, 4
    «... Porque os judeus faziam constantes distúrbios por instigação de Crestus, ele [Cláudio] expulsou-os de Roma.»

    É a única referência que conheço sobre Crestus.

    Quanto a Paulo (Saulo), existe a hipótese de que ele teve influências do Mitraísmo na sua doutrina.

    ResponderExcluir
  5. Você faz afirmações em cima das sua suposições! Eu acho que seus argumentos tipo "bate na trave", e você fica achando é "gol"!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Pode especificar melhor o seu ponto?

      Saudações

      Excluir
  6. Mais específico impossível, você afirma coisas em cima do que "acha" ou do que "parece" etc...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mostre-me alguma carta de Paulo em que ele tenha escrito:
      - que Jesus fez milagres;
      - que Jesus era filho de uma virgem
      - que Jesus discursava por parábolas

      Excluir
    2. Não fuja do assunto! estou dizendo que seus argumentos são fracos, é preciso ter mais fé para acreditar nos seus argumentos do que na Bíblia...

      Excluir
    3. Aliás, nos seus argumentos não, no que você afirma através deles. Seus argumentos até são verídicos mas suas AFIRMAÇÕES fantasiosas!

      Excluir
    4. Não estou a fugir ao assunto.
      Considerando que as cartas de Paulo
      - juntas são a porção maior do Novo Testamento;
      - foram escritas antes dos evangelhos;
      - foram enviadas para comunidades muito distantes da Palestina - Roma, Grécia e Galácia (actual Turquia);
      - foram escritas com o objectivo de descrever Jesus Cristo

      mostre-me onde Paulo escreveu:
      - que Jesus fez milagres - que inclusive ressuscitou pessoas;
      - que Jesus era filho de uma virgem
      - que Jesus discursava por parábolas
      - que Jesus foi batizado;
      - que Jesus era contra as actividades que se praticavam no Templo
      - que Jesus subiu aos céus;
      - etc

      Excluir
  7. Tipo assim: "Só porque vi alguém fazendo caminhada, quer dizer que ela não tem carro!" "Um corintiano cortou o cabelo igual ao meu, isso que dizer que sou corintiano também!" etc, etc, etc... Assim tenho a impressão que é preciso ter mais "fé" para ser Ateu do que para crer em Deus!

    ResponderExcluir
  8. Entenda, só porque Paulo não escreveu:
    - que Jesus fez milagres - que inclusive ressuscitou pessoas;
    - que Jesus era filho de uma virgem
    - que Jesus discursava por parábolas
    - que Jesus foi batizado;
    - que Jesus era contra as actividades que se praticavam no Templo
    - que Jesus subiu aos céus;
    mostre-me onde Paulo escreveu:
    - que Jesus fez milagres - que inclusive ressuscitou pessoas;
    - que Jesus era filho de uma virgem
    - que Jesus discursava por parábolas
    - que Jesus foi batizado;
    - que Jesus era contra as actividades que se praticavam no Templo
    - que Jesus subiu aos céus;
    - etc, etc,etc...
    Não quer dizer que NÃO ACONTECEU !!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então que foi que o principal divulgador do cristianismo disse sobre Jesus? Nada?

      Excluir
    2. Serve 1 Corintios 11:1 ? Ou 1 Corintios 15:20?

      Excluir
    3. Para quem queria escrever sobre Jesus, Paulo tem muito pouco a dizer:
      1 Corintios 11:1 - "Tornem-se meus imitadores, como eu o sou de Cristo."
      1 Corintios 15:20 - "Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dentre aqueles que dormiram."

      Paulo diz que imita Cristo, mas nunca fala das parábolas de Jesus; nunca descreve os milagres de Jesus; não fala da antipatia que Jesus tinha pelas actividades do Templo; que Jesus foi batizado...

      Isso faz sentido?

      Excluir
    4. Quem disse que ele não falou? Falar é uma coisa, escrever é outra! Pode não ter escrito, é diferente. Paulo escreveu cartas às igrejas, quando eu escrevo uma carta a alguém é uma coisa, quando faço uma biografia é outra! E os discípulos que não escreveram evangelhos? Eles também nunca falaram de Jesus? Só porque eu nunca escrevi uma biografia de alguém não quer dizer que nunca falei dela! Aliás se alguém já tinha escrito, porque Paulo teria que escrever também? Teria necessidade de todos os discípulos escreverem?

      Excluir
    5. Quando Paulo escreveu as suas enormes cartas, ainda ninguém tinha escrito nenhum evangelho.

      As cartas de Paulo são muito extensas e Paulo escreveu para pessoas que viviam muito longe da Galileia e de Jerusalém, e que não teriam acesso fácil aos acontecimentos de lá, por isso seria importante Paulo descrever detalhadamente Jesus da Nazaré, uma vez que é aquilo a que ele se propõe: descrever o Cristo.
      Mas não o fez.
      Porquê? Queria esconder as características de Jesus da Nazaré?
      Ou não sabia nada sobre Jesus da Nazaré?

      Excluir
    6. Quer dizer que eu só posso pregar a Salvação a alguém se antes pregar todo o Evangelho? Antes de escrever uma carta falando de Salvação tenho que escrever todo o Evangelho? Paulo tratava de assuntos de necessidade de cada igreja, tratando do tema principal que é a salvação e edificação. As cartas eram endereçadas a "Cristão"(pessoas que já tinham aceitado a Cristo)

      Excluir
    7. Custava muito Paulo referir características simples de Jesus para dar força à sua doutrina de Salvação? Os seus leitores não mereciam saber detalhes sobre o Salvador?
      Claro que não. Por isso, e como Paulo não o fez, é só concluir que Paulo não sabia nada sobre Jesus ou então, o que sabia, considerava pouco interessante para a sua doutrina.

      Excluir
  9. Você escreve sobre as possibilidades de Jesus nunca ter existido, etc, só que suas "provas" não são maiores que as evidências que ele existiu! Ou seja é mais difícil crer nas suas afirmações, do que nas afirmações da Bíblia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só posso dizer que o Novo Testamento fica muito mais fácil de entender com um Jesus alegórico do que com um Jesus histórico.

      Excluir
    2. Exatamente. As Cartas de Paulo sob a perspectiva de um Cristo mítico, cuja "atuação" se deu antes da "fundação dos séculos" fazem muito mais sentido do que interpretá-las tentando harmoniza-las à narrativa dos Evangelhos.

      Excluir
  10. Ola, sou pesquisador e desejo muito saber as fontes e os estudiosos que defende essa teses em suas obras para futuros trabalhos acadêmicos.. Pax!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      a minha fonte principal é o próprio Novo Testamento. Outras fontes clássicas que acho interessantes para conhecer a época:
      - Flávio Josefo, Plutarco, Tito Lívio.

      Autores actuais que sigo com atenção:
      - Richard Carrier
      - Robert M Price
      - Bart Ehrman

      Saudações

      Excluir
  11. Paulo teve uma "alucinação" de Jesus? Certamente ele, acompanhado da senhora progenitora do autor deste artigo idiota, tomaram um "Ácido" e Jesus apareceu... Francamente, até idiotice tem limites!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...