quinta-feira, 2 de maio de 2013

Paulo - Quem eram os Apóstolos?



Os evangelhos relatam que Jesus, durante a sua presença física na Terra, escolheu doze apóstolos. No entanto, os evangelhos praticamente só dão relevo a Pedro, Tiago e João.

Mas Paulo tinha um conceito muito diferente de “apóstolo”. Vejamos como é que Paulo, nas suas cartas, apresenta este conceito e como é que descreve os apóstolos que ele conhecia:
-          no início de cada carta, Paulo apresenta-se como apóstolo “segundo a vontade de Deus” (Romanos 1:1; 1 Coríntios 1:1; 2 Coríntios 1:1; Gálatas 1:1; Colossenses 1:1);

-          Paulo diz que Cristo ressuscitado apareceu primeiro a Cefas e depois aos “doze”, a quinhentos irmãos, a Tiago, aos apóstolos e, por fim, a ele próprio; justifica essa aparição tão tardia porque começara por ser o menor dos apóstolos mas, entretanto, crescera para ser o melhor (1 Coríntios 15:5-11) ;

-          Paulo conheceu, em Jerusalém, os apóstolos Cefas e Tiago ("irmão do Senhor", que não era apóstolo nos evangelhos) só depois de decorridos três anos do início da sua missão (Gálatas 1:17-19);

-          Paulo diz que os apóstolos veteranos – Tiago, Cefas e João – confiaram a ele e Barnabé a missão de evangelizar os gentios e que, mais tarde, sentiu-se desiludido com Cefas e Barnabé, por achar que estes eram hipócritas  (Gálatas 2:6-14);

-          afirma que, se ele próprio é apóstolo e viu Cristo, também tem o direito de comer, beber e casar-se com uma “irmã” como os outros apóstolos e irmãos do Senhor (1 Coríntios 9:1-5);

-          Paulo assegura que nunca invocaria o facto de ser apóstolo para exigir despesas aos discípulos (1 Tessalonicenses 2:6; isto sugere que outros o fizeram ou fariam);

-          numa das cartas aos Coríntios, Paulo descreve depreciativamente um conjunto de apóstolos anónimos que rivalizavam com ele e tenta provar que é superior a eles (2 Coríntios 11:5; 11:13; 12:11-12);

-          Paulo tenta promover a união entre as facções de Apolo, Cefas e dele próprio, mas acaba por deixar de fora Cefas de uma boa parte do discurso (1 Coríntios 1:12; 3:5-9, 22);

-          ninguem possui todos os dons – ser apóstolo, ser profeta, ser instrutor, ter poderes (?), curar, auxiliar, liderar, falar línguas (1 Coríntios 12:28-29; mas os evangelhos e Actos sugerem que os apóstolos reuniam todos estes dons);

-          na carta aos Romanos, envia cumprimentos aos apóstolos Andronico e Júnia (uma mulher, pois é um nome latino feminino derivado do nome da deusa Juno) informando que estes conheciam Cristo há mais tempo do que ele (Romanos 16:7; nas traduções, o nome “Júnia”, foi substituido por “Júnias” para sugerir um nome masculino)


Resumindo: a lista de apóstolos que Paulo menciona e que os evangelhos nunca mencionaram é:
 -          O próprio Paulo, Barnabé, Apolo, Andrónico, Junia;
 -          para além de muitos outros que Paulo menciona sem os nomear;


Mas os apóstolos não eram apenas doze homens ?  E o que aconteceu aos outros apóstolos dos evangelhos - Mateus, André, Filipe, Bartolomeu, Tomé, etc... ? Paulo não fala destes?

E Junia era uma mulher apóstolo?

Na sua carta aos filipenses, Paulo menciona as mulheres que trabalharam com ele na sua missão, indicando que a igreja de Filipos foi iniciada com o apoio de mulheres.
Filipenses 4:2-3 Rogo a Evódia, e rogo a Síntique, que sintam o mesmo no Senhor. E peço também a ti, meu verdadeiro companheiro, que as ajudes, porque trabalharam comigo no evangelho, e com Clemente, e com os outros meus cooperadores, cujos nomes estão no livro da vida.

Podemos dizer que estas duas mulheres - Evódia e Sintique - seriam também apóstolos?

2 comentários:

  1. "justifica essa aparição tão tardia porque começara por ser o menor dos apóstolos mas, entretanto, crescera para ser o melhor" Isso evoca um problema psicológico. Possivelmente, por ter negado Cristo em vida, Paulo sentira o peso do remorso. Isso justificaria sua obsessão por criar um culto à pessoa de Jesus de Nazaré. Sei que não há maneira de tratar objetivamente o psicologismo, mas a única forma de escapar dos deles nos relatos bíblicos é divinizar os personagens. Isso seria desonestidade intelectual! Muito bom seu texto, como sempre.

    ResponderExcluir
  2. Você é um especuladorzinho barato, travestido de cientista, que consegue enganar incautos e otários com esse besteirol travestido de história, só isso...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...