quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

João vs Sinópticos I - João Baptista





Diferenças em relação aos sinópticos

O Evangelho de João tem uma estrutura e doutrina completamente diferentes dos evangelhos sinópticos.

Diferenças Genéricas

Em João não encontramos nenhuma das parábolas que enchem as páginas de Marcos, Mateus e Lucas.

No episódio exclusivo de João sobre as “Bodas de Caná” Jesus é convidado numa luxuosa festa de casamento, que até tem “director de festa”, parecendo que Jesus seria membro do “Jet-Set” da Galiléia e não um mero carpinteiro amigo de pescadores. Curiosamente, nesta festa de casamento, Jesus e a sua mãe movem-se como se fossem os verdadeiros donos da casa e da festa (João 2:1-11).

A vida pública de Jesus, nos sinópticos parece ter durado apenas alguns meses, enquanto a narrativa de João estica esta duração para cerca de três anos.

Em João, Jesus não efectua exorcismos, mas as suas acções miraculosas de curas e ressurreições são presenciadas por grandes ajuntamentos populares.

Nos outros evangelhos grande parte do ensino de Jesus é feito em privado. Em João, a maior parte do ensino é realizado em público.



João Baptista é quase protagonista

No Evangelho Segundo João existem mais passagens relativas a João Baptista do que nos sinópticos, mas nenhuma das passagens menciona que Jesus foi baptizado por aquele. Muitas das passagens são inconsistentes face ao relatado nos sinópticos.

Por exemplo, no seguinte texto vemos que João Baptista diz que Jesus já existia antes dele; uma informação que não se encontra nos evangelhos sinópticos:
João 1:15 João deu testemunho dele, e clamou, dizendo: Este é aquele de quem eu disse: O que vem depois de mim, passou adiante de mim; porque antes de mim ele já existia.


Em duas passagens de Mateus, Jesus diz aos discípulos que João Baptista é o profeta Elias ressuscitado (ou uma reencarnação deste). O texto de João entra em clara contradição com Mateus, ao dizer que João Baptista negou ser Elias.

Mateus
João
Mateus 11:12-14 E desde os dias de João, o Batista, até agora, o reino dos céus é tomado a força, e os violentos o tomam de assalto. Pois todos os profetas e a lei profetizaram até João. E, se quereis dar crédito, é este o Elias que havia de vir.
João 1:19-23 E este foi o testemunho de João, quando os judeus lhe enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para que lhe perguntassem: Quem és tu? Ele, pois, confessou e não negou; sim, confessou: Eu não sou o Cristo. Ao que lhe perguntaram: Pois que? És tu Elias? Respondeu ele: Não sou. És tu o profeta? E respondeu: Não. Disseram-lhe, pois: Quem és? para podermos dar resposta aos que nos enviaram; que dizes de ti mesmo? Respondeu ele: Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaías.
Mateus 17:10-13 Perguntaram-lhe os discípulos: Por que dizem então os escribas que é necessário que Elias venha primeiro? Respondeu ele: Na verdade Elias havia de vir e restaurar todas as coisas; digo-vos, porém, que Elias já veio, e não o reconheceram; mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim também o Filho do homem há de padecer às mãos deles. Então entenderam os discípulos que lhes falava a respeito de João, o Batista.


Uma outra situação curiosa relatada no Evangelho de João é aquela que indica que Jesus e João Baptista andavam a baptizar cada um por seu lado, como se fossem rivais:
João 3:22-26 Depois disto foi Jesus com seus discípulos para a terra da Judeia, onde se demorou com eles e batizava. Ora, João também estava batizando em Enom, perto de Salim, porque havia ali muitas águas; e o povo ía e se batizava. Pois João ainda não fora lançado no cárcere. Surgiu então uma contenda entre os discípulos de João e um judeu acerca da purificação. E foram ter com João e disseram-lhe: Rabi, aquele que estava contigo além do Jordão, do qual tens dado testemunho, eis que está batizando, e todos vão ter com ele.

Ora, se João Baptista acreditava na missão de Jesus porque é que continuou, por conta própria, a sua actividade de baptizador?

Por outro lado, nos evangelhos sinópticos parece claro que Jesus só começou a aparecer em público depois de João Baptista ser preso. Será que o autor sabia que João Baptista foi preso depois de Pilatos ter terminado o seu mandato na Judeia (36 EC)? Este dado obrigaria a colocar a vida pública de Jesus antes do aprisionamento de João Baptista.


Nada de enganos... João Baptista não é o Cristo

No Evangelho Segundo João, em duas passagens distintas, João Baptista negou ser o Cristo:
João 1:19-20 E este foi o testemunho de João, quando os judeus lhe enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para que lhe perguntassem: Quem és tu? Ele, pois, confessou e não negou; sim, confessou: Eu não sou o Cristo. 
João 3:27-28 Respondeu João: ... Vós mesmos me sois testemunhas de que eu disse: Não sou o Cristo, mas sou enviado adiante dele.

Isto indica que o autor quis deixar claro que João Baptista não era o Cristo. A explicação desta preocupação do autor é que, provavelmente, existiriam muitas pessoas, entre os seus potenciais leitores, que criam que João Baptista era o Cristo. Estes crentes seriam... cristãos, mas sem Jesus Nazareno!


Mais sobre João Baptista

Artigos relacionados:
 - Profeta Elias de Israel
 - Evangelhos Canónicos: a história segundo Flávio Josefo


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...