quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Marcos - Censura V - Parábolas, Geografia e Porcos Suicidas



Os autores de Mateus e Lucas, em algumas passagens, não se limitaram a copiar as frases encontradas em Marcos. Algumas alterações ao texto revelam a intenção de simplesmente o embelezar, mas outras revelam a intenção de modificar a doutrina apresentada em Marcos.




Parábolas para quê?

Quando Jesus é inquirido sobre o porquê de tantas parábolas, em Marcos Jesus explica que é necessário manter em segredo o reino de Deus, pois é só para alguns fiéis salvarem-se. Ou seja, as parábolas eram deliberadamente ininteligíveis para impedir “os de fora” de se salvarem caso tomassem conhecimento do “reino de Deus”!

Marcos
Mateus
Lucas
Marcos 4:10-12 Quando se achou só, os que estavam ao redor dele, com os doze, interrogaram-no acerca da parábola. E ele lhes disse: A vós é confiado o mistério do reino de Deus, mas aos de fora tudo se lhes diz por parábolas; para que vendo, vejam, e não percebam; e ouvindo, ouçam, e não entendam; para que não se convertam e sejam perdoados.
Mateus 13:10-17, 34-35 E chegando-se a ele os discípulos, perguntaram-lhe: Por que lhes falas por parábolas? Respondeu-lhes Jesus: Porque a vós é dado conhecer os mistérios do reino dos céus, mas a eles não lhes é dado; pois ao que tem, dar-se-lhe-á, e terá em abundância; mas ao que não tem, até aquilo que tem lhe será tirado. Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e ouvindo, não ouvem nem entendem. E neles se cumpre a profecia de Isaías, que diz: Ouvindo, ouvireis, e de maneira alguma entendereis; e, vendo, vereis, e de maneira alguma percebereis. ...
Lucas 8:9-10 Perguntaram-lhe então seus discípulos o que significava essa parábola. Respondeu ele: A vós é dado conhecer os mistérios do reino de Deus; mas aos outros se fala por parábolas; para que vendo, não vejam, e ouvindo, não entendam.


“Mateus” e “Lucas” omitem a parte da resposta em que Jesus diz “para que não se convertam e sejam perdoados” porque não concordaram com o carácter secreto da missão de Jesus como é retratada em Marcos.

Entretanto “Mateus” expandiu esta resposta de Jesus, incluindo duas citações do Antigo Testamento, mas a questão parece que fica por responder. Incidentalmente, nesta passagem também pode observar-se que “Mateus” modifica “reino de Deus” para “reino dos céus” e esta modificação ocorre sistematicamente ao longo de Mateus.

No prosseguimento do relato de Marcos, Jesus apercebe-se que os apóstolos não entenderam a parábola que tinha acabado de proferir:

Marcos
Mateus
Lucas
Marcos 4:13 Disse-lhes ainda: Não percebeis esta parábola? como pois entendereis todas as parábolas?
Mateus 13:18 Ouvi, pois, vós a parábola do semeador.
Lucas 8:11 É, pois, esta a parábola: A semente é a palavra de Deus.

“Mateus” e “Lucas” omitiram a repreensão que Jesus emitiu, pois, para estes autores, Jesus nunca repreenderia os apóstolos, nem estes seriam de fraco entendimento.



O suicídio dos porcos e a geografia

Segundo Marcos, Jesus chegou de barco à terra dos gerasenos e ali expulsou demónios de um homem. Este estava tão possesso que foram necessários dois mil porcos para levar os maus espíritos embora.
Marcos 5:1-17 Chegaram então ao outro lado do mar, à terra dos gerasenos. E, logo que Jesus saíra do barco, lhe veio ao encontro, dos sepulcros, um homem com espírito imundo, ... Pois Jesus lhe dizia: Sai desse homem, espírito imundo. ... Ora, andava ali pastando no monte uma grande manada de porcos. Rogaram-lhe, pois, os demônios, dizendo: Manda-nos para aqueles porcos, para que entremos neles. E ele lho permitiu. Saindo, então, os espíritos imundos, entraram nos porcos; e precipitou-se a manada, que era de uns dois mil, pelo despenhadeiro no mar, onde todos se afogaram. Nisso fugiram aqueles que os apascentavam, ... E os que tinham visto aquilo contaram-lhes como havia acontecido ao endemoninhado, e acerca dos porcos. Então começaram a rogar-lhe que se retirasse dos seus termos.

Neste relato de Marcos, os porcos cometem suicídio ao atirarem-se de um despenhadeiro para se afogarem. Os pastores dos porcos e as pessoas daquela terra pedem, então, a Jesus para se retirar da região. Não é de admirar! Dois mil porcos mortos deve ter sido um enorme prejuizo para aquela região, para além de que seria um desastre ambiental tal a quantidade de cadáveres de porcos a dar à costa!

O autor coloca este episódio na “terra dos gerasenos”, o que mostra que, para além de possuir uma fértil imaginação, desconhecia a geografia da Palestina, pois certamente desconhecia que Gerasa ficava a uns 50 Km do Mar da Galiléia e não era, logicamente, um local onde se pudesse aportar um barco. Para além disso os porcos teriam de fazer uma enorme corrida para chegarem até ao mar.


Marcos
Mateus
Lucas
Marcos 5:1 Chegaram então ao outro lado do mar, à terra dos gerasenos.
Mateus 8:28 Tendo ele chegado ao outro lado, à terra dos gadarenos, ...
Lucas 8:26 Apontaram à terra dos gerasenos, que está defronte da Galiléia.

“Mateus”, mais conhecedor da geografia palestina, reconheceu a inconsistência e substituiu pela expressão “terra dos gadarenos”, ou seja, Gadara. Mesmo assim não conseguiu mascarar completamente a inconsistência, pois Gadara ainda fica a uns 8 Km do Mar da Galiléia.

Por outro lado, podemos ver que “Lucas”, tal como o autor original, não percebeu o erro de geografia, constituindo indício que seria também desconhecedor da geografia palestina.

Em muitas cópias manuscritas posteriores, os copistas tentaram mascarar este erro substituindo, no texto de Marcos, “terra dos gerasenos” por “terra dos gergesenos”, pois Gergesa foi uma localidade que existiu nas margens do Mar da Galiléia.

Confuso? Vamos recapitular as referências geográficas:
-          Gerasa, cidade de Decápolis, que ficava a 50 Km do Mar da Galiléia;
-          Gadara, também de Decápolis, situada a 8 Km do Mar da Galiléia;
-          Gergesa, localidade situada na margem do Mar da Galiléia.


Noutra passagem, “Marcos” mostra novamente o seu fraco entendimento sobre a geografia do Médio-Oriente afirmando que Jesus saíu de Tiro e regressou ao Mar da Galiléia passando por Sídon. Ora, o Mar da Galiléia fica a sudeste de Tiro, enquanto Sídon fica a mais de 30 Km a norte de Tiro!



“Mateus” também interviu nesta passagem e corrigiu o erro geográfico de “Marcos”, omitindo o itinerário proposto por este autor.

Marcos
Mateus
Marcos 7:31 Tendo Jesus partido das regiões de Tiro, foi por Sídon até o mar da Galiléia, passando pelas regiões de Decápolis.
Mateus 15:29 Partindo Jesus dali, chegou ao pé do mar da Galiléia; e, subindo ao monte, sentou-se ali.


Para finalizar, numa passagem quase contígua a esta, Marcos diz que Jesus foi de barco para as “regiões de Dalmanuta”. Parece que apenas “Marcos” sabia onde ficavam estas regiões, pois até ao dia de hoje mais ninguém conseguiu discernir que região era essa.

Como “Mateus” também não sabia que terra era essa, substituiu “Dalmanuta” por “Magadã”.

Marcos
Mateus
Marcos 8:10 E, entrando logo no barco com seus discípulos, foi para as regiões de Dalmanuta.
Mateus 15:39 E havendo Jesus despedido a multidão, entrou no barco, e foi para os confins de Magadã.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...