domingo, 23 de setembro de 2012

Evangelhos: a história segundo Flávio Josefo (cont.)




A história segundo Flávio Josefo (cont)

Tal como foi mencionado num artigo anterior (ver aqui), as alegadas referências de Josefo sobre Jesus não têm muita substância nem credibilidade.

No entanto, Josefo menciona, numa passagem, um outro Jesus num episódio ocorrido no ano 62 (“quatro anos antes da guerra”). Esta personagem tem muitas semelhanças com o Jesus dos evangelhos mas, neste tempo, o Jesus dos evangelhos já deveria estar morto por quase 30 anos... se é que existiu. Vejamos a passagem:
A Guerra dos Judeus, VI, 5, 3 
Mas um outro portento foi ainda mais assustador. Quatro anos antes da guerra, quando a cidade desfrutava de grande paz e prosperidade, um tal Jesus, filho de Ananias, um rude camponês, veio à festa na qual todos os Judeus costumam erguer tabernáculos a Deus. Entrando no Templo, pôs-se subitamente a gritar, «Uma voz do oriente, uma voz do ocidente, uma voz dos quatro ventos. Uma voz contra Jerusalém e o santuário, uma voz contra o noivo e a noiva, uma voz contra todo o povo». Depois, percorreu todas as ruelas, dia e noite, com este grito nos lábios. Alguns dos principais cidadãos, furiosos com estas palavras de mau agoiro, prenderam-no e castigaram-no duramente. Mas ele, sem uma única palavra em sua defesa ou para os ouvidos dos que lhe batiam, continuou com os seus gritos. Os magistrados, convictos de que o homem se encontrava sob um impulso sobrenatural – o que era verdade -, levaram-no ao governador romano. Apesar de flagelado até aos ossos, não implorou misericórdia nem derramou uma lágrima, gemendo entre cada chicotada, «Ai de Jerusalém!». Sempre que Albino, o governador, lhe perguntou quem era, donde vinha e porque dava aqueles gritos, ele nunca lhe respondeu, reiterando incessantemente as suas lamentações pela cidade, até que Albino o declarou louco e o deixou ir embora. ...

A Guerras dos Judeus, escrita cerca de 74 EC, é a história dos Judeus desde o tempo da revolta dos Macabeus, em 165 AEC, até à destruição de Jerusalém em 70 EC. Vamos relembrar as datas dos acontecimentos durante e após a Guerra dos Judeus:

Data
Acontecimentos
66 EC
Início da Grande Revolta dos Judeus contra os romanos. Josefo é comandante militar na Galiléia. Vespasiano é comissionado por Nero para conter a revolta.
67 EC
Josefo rende-se a Vespasiano, na Galiléia, em Jotapata.
69 EC
O império romano ameaça desmoronar-se: três imperadores num ano.
70 EC
Tito derrota os judeus em Jerusalém. O Templo é destruido. Vespasiano torna-se imperador de Roma.
73 EC
A última bolsa de resistência judaica é derrotada em Masada.
75 EC
Josefo escreve Guerras dos Judeus.
94 EC
Josefo escreve Antiguidades Judaicas.


Quem eram as personalidades políticas deste tempo e local:

Data
Judeia (Jerusalém)
Galileia
60 EC
Festus, prefeito (60 - 62 EC) 
Agrippa II, rei (52 - 93 EC)
62
Albinus, prefeito (62 - 64 EC)
64
Florus, prefeito (64 - 66 EC)
66
Grande Revolta (66 - 73 EC)
68
70


Vamos agora comparar o Jesus dos evangelhos com o Jesus, filho de Ananias, desta passagem de Josefo:


Jesus dos evangelhos
Jesus, filho de Ananias
Enquadramento
Prefeitura de Pilatus (26 a 36 EC)
Prefeitura de Albinus (62 a 64 EC)
Nome
Jesus
Jesus
Gritou no Templo
Sim
Sim
Profetizou a destruição de Jerusalém
Sim
Sim
Foi detido
Sim
Sim
Foi açoitado
Sim
Sim
Foi julgado pela autoridade romana
Sim
Sim
Foi condenado pela autoridade romana
Não
Não



Conclusão: não podem ser coincidências as semelhanças entre as duas personagens: Jesus dos evangelhos e Jesus, filho de Ananias. É possível que a personagem Jesus, filho de Ananias, tenha tido influência na construção da personagem de Jesus dos evangelhos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...